Páginas

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Coisas que detesto #8

Pessoas sem memória e que a troco de maledicências, cusquices e "amizades instantâneas" se esquecem do passado.
Pessoas sem memória que esquecem quem esteve com elas naquelas alturas da vida piores, em que todos as ostracizavam a troco, lá está, de boatos maldosos proferidos por quem lhes era próximo.

Pessoas sem memória do seu próprio passado e percurso, que a troco de interesses mais ou menos elevados, trocam tintas e dão o dito pelo não dito.
Pessoas sem memória que dizem que vão fazer mares e fundos, dizer isto e aquilo, e no fim acovardam-se ao sabor de umas palavras doces.



No entanto, são estas pessoas sem memória que nos mostram o quão detestável é perder a nossa memória. Revelam-se para nós e a nós.
 Apesar de não gostar delas, ainda bem que existem, para nos actualizarem sempre o quanto temos de trabalhar diariamente para nos tornarmos melhores pessoas, pessoas com memórias, pessoas que não se vergam a boatos, a amizades de ocasião e a palavras doces. 
E porque nos concedem epifanias interessantes e ajudam-nos de alguma forma. Não a sermos cautelosos face aos nossos actos (sou da opinião que devemos nos manter igual quer as pessoas valham ou não a pena e tenham ou não relevância na nossa vida), mas porque nos devolvem a ideia de que os actos dos outros em relação a nós são importantes e podem, num dado momento, terem toda a importância, ajudando-nos a escamotear os defeitos que essas mesmas pessoas poderão a vir a ter no futuro para connosco ou com os outros.
Porque é bom termos memória nos momentos de aperto, mas principalmente é bom termos memória nos nossos melhores momentos.

1 comentário:

  1. Muito bem escrito, gostei principalmente do último parágrafo.

    ResponderEliminar